Você tem cultura? uma breve reflexão sobre identidade e patrimônio cultural - Celeiro Cultural

Breaking

domingo, 18 de julho de 2021

Você tem cultura? uma breve reflexão sobre identidade e patrimônio cultural

Por Bruna Novais de Sousa


Cada sociedade constitui sua própria cultura por meio da sua linguagem, dos seus discursos, das suas imagens e suas produções de acordo com a realidade, logo, podemos dizer que ela cria/produz a sua própria identidade cultural. Diante disso, a cultura é uma forma de expressão, um modo de criar sentidos que podem influenciar e organizar nossas ações quanto a concepção que temos de nós mesmos, deste modo, as culturas nacionais quando produzem sentido sobre a “nação” no quais são identificados, constroem assim, as identidades.


A partir deste contexto, podemos dizer que a identidade é a busca de diferenças e semelhanças, onde se procura traços em comum que se relacionam entre os mesmos, o que intensifica o sentimento de solidariedade grupal de um certo local, valorizando assim, a sua autenticidade. Diante disso, nota se a importância da preservação da identidade local, uma vez que, a identidade torna se um instrumento de identificação cultural de cada região, por exemplo, que graça teria viajar para Salvador e não saborear um Acarajé?


A cultura é uma ferramenta essencial para uma sociedade, e que a partir dela, podemos aprender sobre um indivíduo ou determinada população. Podemos ver a identidade local como um componente do patrimônio cultural de uma cidade, que atrai pessoas para usufruir deste bem cultural, e que deste modo, possui diversos requisitos que incentiva e desenvolve de forma responsável e sustentável o turismo cultural por exemplo.


Outro componente importante do patrimônio cultural que enfatiza a identidade local de determinadas regiões são as manifestações culturais tradicionais, as manifestações  conectam no conceito de Patrimônio Imaterial, que segundo o IPHAN (2011) é passado de geração em geração e recriado pelas comunidades e grupos sociais em função de seu habitat, de sua interação com a natureza e de sua história, motivando um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo assim para promover o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.


Neste sentido, é importante políticas públicas e leis que incentivam, protejam e valorizam as manifestações culturais tradicionais, que estimule o consumo e a produção da cultura, pois assim, mantemos também a nossa identidade, mas, a proteção deste bem parte de uma ação conjunta, do poder público, privado e sociedade.  


O patrimônio cultural nasce a partir das identificações de determinados grupos sociais como o artesanato, a música, a gastronomia, os rituais, as linguagens, os eventos entre outros. No entanto, o patrimônio pode ser compreendido como um recurso à disposição das comunidades para o seu desenvolvimento, as manifestações culturais passam a ter elementos do passado que vinculados ao presente possibilitam conjeturar a história de um povo.


Com o fenômeno da globalização nos dias atuais, há uma facilidade entre troca de culturas por diversos meios que concretiza o encontro de pessoas que praticam o turismo, então, há uma necessidade em várias localidades de se redescobrir, reconhecer e valorizar sua identidade cultural, o que os diferencia e caracteriza grupos sociais variados, ou seja, a diversidade cultural. (DIAS, 2006)


Por fim, falar de patrimônio consequentemente, pressupõe em falar de identidade e diversidade, na medida em que pode ser entendido como um apanhado simbólico de valores identitários que auxiliam para um sentido de pertencer e de identificação social. Ou seja, nós somos o que consumimos e o que nos compõem, fazer parte de determinado grupo social, cria a nossa identidade, a nossa cultura o nosso pertencer. 


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  

DIAS, Reinaldo. Turismo e patrimônio cultural: recursos que acompanham o crescimento das cidades. São Paulo: Saraiva, 2006. Edições, 2000.


GOLDSTEIN, Ilana S.; STRUBE, Christian.  Cultura e desenvolvimento. Série Universitária. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2018.


Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional. Disponível em:  <http://portal.iphan.gov.br/> Acesso em: 15 de julho 2021.



Bruna Novais de Sousa é graduada em turismo pela Unesp de Rosana e pós graduanda em Gestão Cultural pelo SENAC. 

3 comentários:

  1. Excelente reflexão! E realmente, somos o que consumimos. Que as raridades sejam expostas.

    ResponderExcluir
  2. Ótima reflexão sobre identidade cultural e a riqueza e possiblidades geradas pela cultura no plano individual e coletivo.👏👏👏👏🤗🤗

    ResponderExcluir