"Dharma" é a canção vencedora do 45º Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira - Celeiro Cultural

Breaking

terça-feira, 5 de novembro de 2019

"Dharma" é a canção vencedora do 45º Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira


A canção “Dharma”, de São Paulo (SP), composta pelo músico ilhense Felipe Lucena e interpretada por Bruna Moraes e Felipe Lucena, foi a grande vencedora do 45º Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira. O anúncio foi feito no final da noite de ontem, 02, no encerramento do Festival, que contou com show do cantor Zé Geraldo. O evento foi uma realização do Ministério da Cidadania, Secretaria Especial de Cultura e Fundação Cultural de Ilha Solteira, em parceria com a Prefeitura Municipal, conta com apoio do Sesc, e é patrocinado pela CTG Brasil – empresa de origem chinesa que opera a hidrelétrica de Ilha Solteira – via Lei de Incentivo à Cultura.

“Agridoce”, do grupo Pássaro Vivo (Patos de Minas - MG), ficou com a segunda colocação. “Frágil Beleza”, por Raul Misturada (São Paulo - SP), alcançou o terceiro lugar. Já o quarto prêmio foi entregue à “Solicitude”, de Kico Zamarian e Zé Renato Fressato (Mococa - SP). Em quinto lugar, ficou “Alma de Cordas”, composta e interpretada por Bilora (Contagem – MG).

Marcia Cherubin (Santo André - SP), por “Rodas”, ficou com o prêmio “Tereza Albuquerque”, de melhor intérprete; “O Zé e a Flor”, de Alexandre Lemos e interpretada por Marcelo Barum (São Paulo - SP), foi consagrada como melhor letra, levando o prêmio “Marcos Ayres”. Já o prêmio “Clóvis Guerra” de aclamação popular foi entregue à “Camaleão”, de Ronald Saar (Três Rios - RJ). Também foram entregues os prêmios para Ilha Solteira: “Que Sorte Eu Dei”, de Vinícius Amorim, levou o Prêmio Rachel Dossi de Melhor Música de Ilha Solteira; e Kamylla Vrech ficou com o Prêmio Alcides Garcia de Melhor Intérprete de Ilha Solteira, pela sua interpretação de “Pode Ir”.

CONFIRA OS VENCEDORES DO 45º FESTIVAL NACIONAL DE MPB DE ILHA SOLTEIRA:


1º lugar - “Dharma”

Compositor: Felipe Lucena

Intérprete: Bruna Moraes e Felipe Lucena

São Paulo (SP)


2º lugar - “Agridoce”

Compositor: Lucas de Paula

Intérprete: Pássaro Vivo

Patos de Minas (MG)


3º lugar - “Frágil Beleza”

Compositor: Dulce Quental e Raul Misturada

Intérprete: Raul Misturada

São Paulo (SP)


4º lugar - “Solicitude”

Compositor: Kico Zamarian

Intérprete: Kico Zamarian e Zé Renato Fressato

Mococa (SP)


5º lugar - “Alma de Cordas”

Compositor e intérprete: Bilora

Contagem (MG)


Prêmio Clóvis Guerra de Aclamação Popular: “Camaleão”

Compositor e intérprete: Ronald Saar

Três Rios (RJ)


Prêmio Tereza Albuquerque de Melhor Intérprete: Marcia Cherubin, por “Rodas”

Santo André (SP)


Prêmio Marcos Ayres de Melhor Letra: “O Zé e a Flor”

Compositor: Alexandre Lemos

Intérprete: Marcelo Barun

São Paulo (SP)


Prêmio Rachel Dossi de Melhor Música de Ilha Solteira: “Que Sorte Eu Dei”

Compositor e intérprete: Vinícius Amorim


Prêmio Alcides Garcia de Melhor Intérprete de Ilha Solteira: Kamylla Vrech, por “Pode Ir”


CTG Brasil

Criada em 2013, a CTG Brasil é parte da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em energia limpa. Com investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, o portfólio da CTG Brasil hoje tem uma capacidade total instalada de 8,28 GW. Segunda maior geradora privada de energia do país, a CTG Brasil conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário