"Tempo do Amor" -Tavinho Limma - Celeiro Cultural

Breaking

quarta-feira, 29 de maio de 2019

"Tempo do Amor" -Tavinho Limma


Meu coração é a sede, quando o tempo é a bebida
Meu coração é a fome, teu amor é a comida
Meu coração faz as contas, multiplica as divididas
Meu coração fez a soma entre o peito e as batidas
Meu coração é a seda, quando a alma é bem vestida
Meu coração não tem corpo, se a saudade é mal despida
Meu coração sem entrada só procura uma saída
Meu coração sem chegada só encontra tua partida
Meu coração não se pega empurrado na descida
Meu coração sem motor, emperrado na subida
Meu coração nunca sara, paixão sem cura, bem ferida
Meu coração sempre será amor, doença contraída
Meu coração não se paga, não tem preço sua lida
Meu coração só trabalha por apreço à própria vida
Meu coração não é mártir pra sofrer missão cumprida
Meu coração não quer morte, nem ‘matada’, nem ‘morrida’
Meu coração bebedor se cansou de ser cachaça
Não sou gole de vinho, já quebrei, quando fui taça
Eu sou pedra de rua, não nasci pra ser vidraça
Tenho no olhar uma flecha, o tempo do amor é minha caça
Meu coração pagador sempre quis viver de graça
Prá colar alegria, onde o peito despedaça
Abro os braços do sonho, cruzo a vida que me abraça
‘Toda exceção tem uma regra’: O tempo do amor que me refaça!

Nenhum comentário:

Postar um comentário