Matuto Moderno faz show na Caixa Cultural São Paulo, em comemoração aos seus 20 anos - Celeiro Cultural

Breaking

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Matuto Moderno faz show na Caixa Cultural São Paulo, em comemoração aos seus 20 anos


A tradição musical do sudeste brasileiro, ao som da viola caipira, parecia não ter nada em comum com o rock, até que cinco músicos se uniram para formar a banda Matuto Moderno no final dos anos 90 e derrubaram a crença de que música de raiz atrai apenas o público “mais velho”. Desde então, a banda formada por Ricardo Vignini (viola caipira), Zé Helder (viola caipira e vocal), Edson Fontes (vocal e catira), Marcelo Berzotti (baixo e vocal), André Rass e Carlinhos Ferreira (percussão) tem se apresentado nos palcos mais nobres de São Paulo, em outras regiões do país e no exterior, com participações especiais de diversos artistas brasileiros. 

Para comemorar seus 20 anos, a banda realiza o show “Matuto Moderno convida André Abujamra” de 20 a 23 setembro, na CAIXA Cultural São Paulo, com uma seleção de faixas dos 5 CDs gravados. A maioria delas músicas é de autoria própria, incluindo “Topada”, do CD “Matuto Moderno 5”, feita por Ricardo Vignini em parceria com André Abujamra. Do cantor e compositor do Karnak e Os Mulheres Negras, o público também poderá recordar de “Juvenar” e “Milho”.  A apresentação vai contar com mais um percussionista, Carlinhos Ferreira, que participou do último CD do grupo.

Do repertório, entrarão ainda “Manacá” (Ricardo Vignini e Zé Helder), “Curva de Rio” (Ricardo Vignini) e “Ecologia Brasileira” (Índio Cachoeira e Cuitelinho), gravada pelo violeiro Índio Cachoeira, da dupla sertaneja de raiz Cacique e Pajé, que morreu em abril último. Ele será homenageado, assim como Inezita Barroso e Pena Branca, pelo esforço e persistência em valorizar e divulgar a música de viola.

Matuto Moderno se lançou num período em que a influência musical da viola, catira e congado compunham e fortaleciam a cultura de raiz. Mas a relação desse estilo com o rock aconteceu “de forma natural”, diz Ricardo Vignini, e inseriu o grupo em diversos eventos importantes e até influenciado artistas mais novos.

Vignini e Zé Helder também formam o duo “Moda de Rock”, que agradou os públicos nacional e internacional com suas versões instrumentais de clássicos do rock para viola caipira.

Em 2013, o álbum “Matuto Moderno 5”, com 10 faixas autorais, foi gravado totalmente ao vivo em um sítio na cidade mineira de Pedralva de forma mais crua possível, resgatando a maneira como eram gravados os álbuns na década de 1970. Com a entrada de Zé Helder assumindo os vocais junto com Edson Fontes, a banda se tornou mais visceral, acentuando os extremos do lado rock e do jeito raiz. A banda comemorou também o relançamento de toda a sua discografia para venda digital.

Em 2014, a banda realizou uma turnê onde se destacam as apresentações em Brasília e Curitiba na Caixa Cultural dentro do projeto Tem Viola no Rock junto com o guitarrista Andreas Kisser (Sepultura) e o aniversário de 15 anos no SESC Pompéia com os convidados Pereira da Viola, Índio Cachoeira e Os Favoritos da Catira.

Em 2015, se apresentou na Virada Cultural em São Paulo na Praça da República, levando o público a formar dois imensos cordões de catireiros que acompanhavam o ritmo com as batidas de mãos e pés ao som de “Recorte de Abater” (Edson Fontes) e realizou uma turnê pelo interior e São Paulo pelo Circuito SESC das Artes.

Em 2016, a banda se apresentou em uma das maiores convenções de música do mundo, o Canadian Music Week.
  
Serviço:

Show: Matuto Moderno convida André Abujamra

Data: de 20 a 23 de setembro (quinta a domingo)

Horário: 19h15 

Local: CAIXA Cultural São Paulo

Endereço: Praça da Sé, 111 – Centro

Informações: (11) 3321-4400

Ingressos: Grátis. Distribuídos a partir das 9h do dia do evento

Duração: 80 minutos

Classificação: Livre

Capacidade: 80 lugares

Acesso para pessoas com deficiência

Patrocínio: CAIXA 

Nenhum comentário:

Postar um comentário