Conheça um dos talentos de Ilha Solteira - Celeiro Cultural

Breaking

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Conheça um dos talentos de Ilha Solteira



A estudante do Ensino Médio da Escola Estadual de Urubupungá Jennifer Brandão, moradora de Ilha Solteira, expôs seus desenhos no II Encontro das Quebradas, que aconteceu no último sábado, dia 13 de agosto, no centro comunitário do Jardim Novo Horizonte.

Jennifer conversou com o Celeiro Cultural, e falou um pouco como começou a desenhar, seu trabalho e planos para o futuro profissional.







Celeiro Cultural - Quando e como você começou a desenhar?.
Jennifer - Comecei a gostar mais e a desenhar mesmo em 2013 foi quando eu comecei a mostrar meus desenhos e desenhava com outras pessoas perto na sala de aula. Nessa época conheci uma colega que também desenhava, passou um ano e ela parou, mas eu continuei, porque é a única coisa que eu me orgulhava de fazer, a única coisa que eu realmente me sentia bem. Nessa época eu "não sabia" desenhar, quando eu tive um celular melhor eu comecei a ver vídeos no youtube, ver desenhos de outras pessoas, comecei a usar outros materiais diferentes e sempre buscando resultados melhores, conheci um amigo nessa época aqui na Ilha, ele era profissional, fazia desenhos que realmente pareciam foto e eu ficava fissurada nos desenhos dele e a minha meta a partir de então era desenhar como ele. Agora ele se mudou e está trabalhando como dançarino, mas eu ainda assim continuei, e se um dia eu falei pra ele que ainda iria desenhar como ele, esse dia chegou, ou quase chegou, ainda preciso melhorar textura de cabelos, mas o resto eu consegui”.




Celeiro Cultural – Você seguirá uma carreira de desenhista?

Jennifer - Na verdade não quero ter exatamente uma carreira como desenhista, eu amo o que faço mas meu sonho mesmo é ser agrônoma, porém, não vou deixar de desenhar, sempre quando der eu vou fazer algo. Atualmente eu apenas faço desenhos por encomendas para algumas pessoas de vez em quando. Eu já fiz encomenda para uma pessoa da Rússia e recebi em dólar, esse foi o melhor trabalho que já fiz (risos).








Nenhum comentário:

Postar um comentário